Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 Junho Iteral é um dos parceiros da 26ª Feira Camponesa
08/06/2017 - 15h00m

Iteral é um dos parceiros da 26ª Feira Camponesa

O evento é promovido pela Comissão Pastoral da Terra, reúne 60 feirantes oriundos de 24 áreas da reforma agrária

Iteral é um dos parceiros da 26ª Feira Camponesa

Texto e foto: Helciane Angélica Santos Pereira

 

O Governo de Alagoas por meio do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) é um dos apoiadores da 26ª Feira Camponesa da Comissão Pastoral da Terra (CPT/AL), que teve início ontem(7) e segue até sábado ao meio dia, na Praça Afrânio Jorge (Praça da Faculdade), no bairro do Prado em Maceió.

A cerimônia de abertura contou com a presença de representações do Iteral, Incra/AL, Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar de Alagoas, Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag), Federação dos Assalariados, Central Única dos Trabalhadores (CUT-AL), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Via do Trabalho.


De acordo com o diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, essa é mais uma ação que valoriza o trabalho dos agricultores familiares, demonstra a real importância da reforma agrária e contribui para o escoamento da produção dos acampamentos e assentamentos, e precisa de todo o apoio governamental.


Eu estive em Brasília, no Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário e infelizmente está suspensa, por tempo indeterminado, a compra de terra para a reforma agrária não só em Alagoas, mas no Brasil. E isso é muito triste e espero que isso mude o mais rápido possível, porque não podemos deixar os agricultores sem a mínima condições de trabalhar. Mas, o Iteral está fazendo a sua parte e estamos percorrendo todo o Estado de Alagoas investindo na renegociação e liquidação das dívidas dos assentados do crédito fundiário”, citou Jaime Silva.


Estão presentes 60 feirantes oriundos de um acampamento e 23 assentamentos da reforma agrária situados nos municípios de Água Branca, Branquinha, Coruripe, Flexeiras, Joaquim Gomes, Major Isidoro, Maragogi, Messias, Murici, Olho D´Água do Casado, São Miguel dos Milagres e União dos Palmares.
Na praça, é possível comprar uma variedade de frutas, hortaliças, feijão de corda, inhame, macaxeira, mel de abelha, pimenta, farinha, beiju, tapioca, pé de moleque, doces caseiros e animais.

A engenheira agrônoma e coordenadora regional da CPT, Heloisa Amaral, destacou que o diferencial da Feira Camponesa é o trabalho de capacitação com os feirantes para primar pela limpeza e a organização das barracas, além da instalação de uma casa de farinha demonstrando o passo a passo na produção da farinha.


O povo do campo sobreviveria tranquilamente longe da cidade, trabalhando e produzindo, e estar aqui na feira vendendo os seus produtos é uma verdadeira partilha com as famílias da cidade para que possam sobreviver e se alimentar”, destacou.


Para o historiador e coordenador estadual da CPT-AL, Carlos Lima, a feira é um ato de resistência porque muitos agricultores lamentaram em não poder participar da feira porque sofreram com o longo período de estiagem no sertão e outros perderam seus produtos com as fortes chuvas. “O camponês antes de tudo é antes de tudo um resistente, porque se sofre com o sol, sofre com a chuva e vai tocando a vida e vai fazendo aquilo que é melhor para qualquer pessoa de cada um. Essa é a missão e as feiras é apenas uma amostra dos que são capazes de produzir”, enfatizou.

 

Na programação noturna a partir das 19h, o público pode conferir gratuitamente a apresentação de artistas locais com o forró da melhor qualidade para celebrar os festejos juninos. Também terá um bingo de um carneiro e o restaurante camponês com comida regional. Entrada gratuita!

Ações do documento