Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2020 Janeiro Iteral recebe lideranças do movimento FNL
21/01/2020 - 13h25m

Iteral recebe lideranças do movimento FNL

Comitiva apresentou integrantes do coletivo nacional e destacou que pretende estreitar a comunicação com o Governo do Estado

Iteral recebe lideranças do movimento FNL

Texto e foto: Helciane Angélica Santos Pereira (Iteral/Ascom)

 

O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) possui entre suas missões a intermediação em conflitos agrários e o fortalecimento do diálogo com movimentos sociais do campo, sempre em parceria com o Gabinete Civil e o Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária (CGCDHPC) da PM-AL.

O diretor presidente do Iteral, Jaime Silva, recebeu na manhã dessa segunda-feira(20.01) em seu gabinete representantes do coletivo nacional do movimento Frente Nacional de Lutas (FNL), que apresentou suas novas lideranças a exemplo de Marcos Antônio da Silva (Marrom) e a advogada Iara Duarte Lins, que acompanhará as demandas em prol da reforma agrária e audiências. Na visita, também foi discutida a realidade das famílias acampadas nas terras das usinas Guaxuma e Laginha (Massa Falida do Grupo João Lyra).

Estamos aqui para dialogar com todos os movimentos! Acompanhamos o posicionamento das lideranças, até porque os liderados não estão preocupados em saber a cor da bandeira, e sim, se esses líderes estão levando eles para o caminho certo. Para mim, o real significado disso tudo é o fortalecimento da agricultura familiar e a luta pela reforma agrária”, citou o gestor Jaime Silva.

A liderança José Alves dos Santos (Fumaça) citou que o coletivo pretende zelar pelo nome da Frente, combatendo a postura de coordenadores ruins e estreitando a comunicação com o Governo do Estado.

Os coordenadores afirmam que o movimento FNL existe há cinco anos no Estado de Alagoas, e no final de 2019 recebeu trabalhadores rurais que migraram do Movimento Via do Trabalho (MVT). Atualmente, reúne cerca de 6.000 famílias camponesas de acampamentos e assentamentos distribuídos em três regiões (agreste, sertão e zona da mata).

Ações do documento